Centro de Foz do Iguaçu Anos 80. AV: Republica Argentina esquina Av: Brasil.

Veja os relatos de moradores da época:

Na foto de acordo com o relato de João Pereira de Oliveira:  “Eu só tenho elogios. Cheguei aqui com 10 anos e adotei esta cidade como a minha cidade natal, bem como o estado do Paraná. Aqui eu estudei, trabalhei, me aposentei e continuo morando. Tenho muito orgulho de fazer parte de toda essa maravilha que é Foz do Iguaçu. João ao lembrar disse: “Nesse prédio à direita, na época funcionava a Casa de Hóspedes da Itaipu Binacional, habitado por funcionários da empresa, e fica em frente a antiga Rodoviária e Hotel Foz do Iguaçu. Quanto ao ano da foto, é complicado, 1981, 1982 ???
Continue lendo “Centro de Foz do Iguaçu Anos 80. AV: Republica Argentina esquina Av: Brasil.”

Coluna Prestes, 1924

Esta foto é de 1924 e retrata na verdade a coluna paulista que iria se juntar com a gaucha, comandada por Carlos Prestes. originando assim o contingente militar conhecido como Coluna Prestes.

O movimento liderado por Luís Carlos Prestes, de 1924 a 1927, provou grandes transformações na condução política do Brasil, terminando com a revolução de 1930.

Um bom exemplo desta transformação é a passagem da Coluna Prestes por Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná. A região era dominada por argentinos extrativistas da erva mate, que escravizavam os trabalhadores. Quando Prestes chegou à cidade, os exploradores fugiram para Porto Wanda na Argentina. Continue lendo “Coluna Prestes, 1924”

Ilha Acaraí, Anos 70

Um vulcão adormecido , elevando-se no meio dos poderosos Paraná. Na sala de estar enormes serpentes e espécimes da fauna e da flora ameaçadas de extinção. Ele está localizado na ilha Acaray , distante 250 metros da Ponte da Amizade em Três Fronteiras .

A ilha Acaray , também conhecida como Ilha das Cobras , localizada no meio do rio Paraná, cerca de 250 metros a montante da Ponte Internacional Amizade, é um vulcão adormecido .

Isso é rock, uma veia vulcânica, uma fissura do planeta, uma bolha que não explodiu , dando origem à ilha nas águas do Paraná. Possui uma área de 12 hectares e tem uma vegetação nativa da Mata Atlântica.

“Este pedaço de rocha e do solo é de origem vulcânica . Contudo, há perigo de erupção , uma vez que não registra qualquer atividade”, disse o professor Francisco Amarelo, historiador, antropólogo e pesquisador da flora e fauna da região , que vivendo atualmente em Foz do Iguaçu , Brasil.

Amarelo é um estudante da origem desta enorme pedra que abriga diversas espécies de cobras e outros animais em perigo de extinção. Ele explicou que, quando foi feito um estudo de terreno para construção da Ponte da Amizade , grande infiltração de água sob a rocha que encontrou.

Segundo ele, um buraco grande, o que foi chamado Caverna surubú encontrado. Um estudo científico , levado a cabo por um grupo de europeus e sul-americano, chegou à conclusão de que esta ilha é um vulcão adormecido , que ela mantinha em uma cratera.

“É uma veia vulcânica , o que não é um perigo para os habitantes da região “, disse ele , acrescentando que os moradores da TBA sabem pouco ou nada sobre esta ilha .

Ele observou que, para além do que traz esta rocha , graças aos governos do Brasil e do Paraguai até agora não produziu qualquer plano para explorar maneira turística, que é por isso que muitas espécies podem continuar a existir sem a interferência do homem.

Ele lembrou que em um parágrafo da nossa história , os governos recentes de ambos os países territorialidade da ilha é disputada. Para amarelo , pertence ao vizinho , porque está no lado esquerdo do canal de rio de PR.

A Marinha do Brasil , atribuiu o imóvel oferecido para venda ilha para operações turísticas , há seis anos , com uma base de 1,5 milhões dólares EUA venda.

A TRIBO

Acaray Island é uma palavra mal pronunciado pelos espanhóis e significa ” cabeça d’água “, como os nativos tinham uma cabeça muito grande .

O nome é uma homenagem à tribo indígena Acarayense foi exterminada pelos espanhóis.

De acordo com lendas recolhidas na ilha viveu a rainha de que a família tribal, e que era beleza inigualável que toda a tribo estava apaixonado por ela e , por causa da sua própria segurança , a bela indiana caminhava sozinho e escondido na parte mais alto da ilha .

O resto da comunidade viveu em margens opostas rios Acaray e Paraná . ” Só os homens muito confiáveis tinham acesso à ilha, mas mais perto do belo privilégio de solteira era só os seus pais “, disse o historiador e professor de Foz do Iguaçu , Francisco Amarelo .

” A bela donzela permanece até hoje na ilha, à espera de um verdadeiro amor ” significava .

Por Wilson Ferreira, CIUDAD DEL ESE

 

 

 

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑